quinta-feira, 27 de julho de 2017

Documentário: Sotigui Kouyaté, Um griot no Brasil e Griots, guardiões da história oral



https://www.youtube.com/watch?v=sJd1te_3pjI
 
 

Publicado em 6 de ago de 2014
O documentário, dirigido por Alexandre Handfest, traz o ator, diretor e
griot africano, que trabalhou com Peter Brook, falando da missão de
passar adiante seus conhecimentos, a memória do continente e da
importância da escuta para arte, comunicação e vida.


Direção: Alexandre Handfest – Produção: SescSP

Classificação: Livre


https://www.youtube.com/watch?v=8eIX4Bfr3ak

Publicado em 8 de abr de 2011
Na tradição africana, são os griots, não os livros, que transmitem a
história de um povo ao longo dos tempos. Veja fotos que o editor do
Brasil de Fato, Igor Ojeda, fez dos griots de Ndièyenne Sirakh, no
interior do Senegal


INÍCIO 

Oralidade e letramento: diálogos na escola



https://www.youtube.com/watch?v=c_8pQ0534tY

 
 

Publicado em 27 de out de 2014
Carlos Alberto Faraco, linguista e professor da Universidade Federal do Paraná
(UFPR), fala da importância de se trabalhar oralidade na escola e
apresenta algumas sugestões de como esse trabalho pode ser feito.




https://www.youtube.com/watch?v=hioTkSqFg3E



INÍCIO 

A universidade brasileira ensina de costas pro país e pro povo - Ariano Suassuna



https://www.youtube.com/watch?v=Ww91hs_pji8


Publicado em 12 de jul de 2017
►PARA MAIORES INFORMAÇÕES, LEIA MAIS:

Ariano Suassuna (1927 - 2014) foi dramaturgo, romancista, poeta e membro da Academia Brasileira de Letras Ariano. "O Auto da Compadecida", sua obra-prima, foi adaptada para a televisão e para o cinema. Sua obra reúne, além da capacidade imaginativa, seus conhecimentos sobre o folclore nordestino. Foi poeta, romancista, ensaísta, dramaturgo, professor e advogado.

"Que são os homens mais do que a aparência de teatro?
A vaidade e a fortuna governam a farsa dessa vida. Ninguém escolhe seu papel, cada um recebe o que lhe dão.Aquele que sai sem fausto e nem cortejo e que logo no rosto indica que é sujeito a dor, a aflição, a miséria, este representa o papel de homem.
A morte que está de sentinela numa das mãos segura o relógio do tempo na outra a foice fatal e com esta de um só golpe, certeiro e inevitável, dá fim a tragédia, fecha a cortina e desaparece", Matias Aires

Íntegra - https://youtu.be/nB813pnBXBQ

INÍCIO 

Um papo com Paulo Freire.



https://www.youtube.com/watch?v=idwYE9x0NuE

 
 

Publicado em 5 de mar de 2017
◼️ 🔻 Para mais informações, leia a descrição.

◼️ Um papo com Paulo Freire.

Em uma palestra no ano de 1994, Paulo Freire fala a respeito de
disciplina, liberdade, escola e educação. Qual o papel dos professores e
dos pais na construção da educação.

◼️ Fonte Original: Palestra realizada no auditório do CDCC em 22 de novembro de 1994, patrocinada pelo IFSC - USP.



INÍCIO 

Documentário Paulo Freire Contemporâneo [HD]



https://www.youtube.com/watch?v=5y9KMq6G8l8
 
 

Publicado em 7 de dez de 2015
Nascido em 19 de setembro de 1921 no Recife, Pernambuco, Paulo Freire foi um
dos maiores educadores brasileiros e, ainda hoje, é referência
bibliográfica na pedagogia e estudos relacionados ao ensino e à
educação. O documentário Contemporâneo retoma as origens das primeiras
experiências de alfabetização e de educação popular freirianas, quase 50
anos depois de sua realização em Angicos (RN), para mostrar de que
forma os elementos fundamentais de seu pensamento e pedagogia estão
vivos e presentes até os dias atuais.


INÍCIO 

PHA a Boulos: cadê o povão?



https://www.youtube.com/watch?v=LkhF-DCkD7c&feature=em-uploademail 



Publicado em 27 de jul de 2017
ASSISTA A ENTREVISTA COMPLETA EM youtu.be/COzi-lCMeJM

Guilherme Boulos, líder do MTST - Movimento dos Trabalhadores Sem-teto, fala
sobre as manifestações do último período e quais podem ser as reações
populares contra os ataques do governo Temer.

 INÍCIO 

Grandes Cursos Cultura Na TV - José Miguel Wisnik - Guimarães Rosa - Famigerado



https://www.youtube.com/watch?v=_W4mAPHbQZE
 
 

Parte 2/3

https://www.youtube.com/watch?v=IMfMF9zcAIg 


Parte 3/3 

https://www.youtube.com/watch?v=5LHhtBf24Nk


Publicado em 29 de jun de 2011
Famigerado

Um dos 21 contos curtos que integram o volume "Primeiras Histórias",
lançado por Guimarães Rosa em 1962. Conta a história de um valentão
sertanejo que viaja centenas de léguas atrás de alguém letrado, um
doutor da cidade, que lhe explique o significado de uma palavra, que soa
hora como xingamento, ora como elogio, e de cuja resposta dependerá a
vida e a morte de muitos, inclusive a do doutor.


INÍCIO 

Negociar com o patrão - Reforma Trabalhista




https://www.youtube.com/watch?v=I5Eoslm7_DM

Publicado em 19 de jul de 2017
A partir de agora, patrão e empregado negociam diretamente.. Agora, sim, todo mundo vai debater de igual pra igual: patrão igual a patrão, empregado igual a empregado.


INÍCIO 

Rossini Tavares de Lima e o Museu do Folclore

 

Museu de Folclore Rossini Tavares de Lima





Mantido pela Associação Brasileira de Folclore, entidade sem fins lucrativos, o Museu de Folclore Rossini Tavares de Lima  é particular e mantém um acervo resultado de pesquisa de campo, principalmente realizadas pelos alunos do falecido professor que o fundou e tem seu nome.
Seu acervo é constituído de peças atualmente em uso em vários lugares do Brasil, referentes à arte popular, utensílios, vestuários, objetos religiosos, musicais etc. Não se trata de um museu apenas histórico.
Tem entre suas finalidades o de conscientizar as pessoas na valorização de nossas tradições e objetos, usos e costumes e, consequentemente, a nossa cultura.
Atualmente tem como diretora executiva Maria do Rosário Tavares de Lima.
Endereço: Casa do Sertanista à Praça Ênio Barbato, s/n, Caxingui, Butantã, São Paulo. Telefax: (11) 3721-8671

 
 
 
​Rossini Tavares de Lima -  Cadeira n° 39
Fundador ​Rodolfo Josetti
     
 
Historiador e folclorista, Rossini Tavares de Lima nasceu em Itapetininga, São Paulo, a 25 de abril de 1915. Iniciou seus estudos de piano e de teoria musical com seu pai, Mozart Tavares de Lima. Diplomou-se pelo Conservatório Dramático e Musical de São Paulo. Fundou e dirigiu a revista Folclore, participando também da criação do Centro de Pesquisas Folclóricas Mario de Andrade. Ocupou o cargo de professor de história da música e de folclore nacional no Conservatório Dramático e Musical de São Paulo. Foi colaborador dos seguintes jornais: Jornal da Manhã, Correio Paulistano, Folha da Manhã, Roteiro, Planalto, A Noite, e das revistas Ilustração, Hoje e Leitura. Foi fundador da Academia Paulista de Música, redator de arte do jornal A Gazeta, comentarista musical da Rádio Gazeta. Foi fiscal de ensino musical do Serviço de Fiscalização Artística da Secretaria de Governo, membro da comissão de ensino da Fundação Armando Alvares Penteado e membro do Conselho Nacional de Folclore.

Em 1947 organizou, no Centro de Pesquisas Folclóricas do Conservatório Dramático e Musical de São Paulo, um pequeno acervo de objetos folclóricos. O acervo cresceu por ocasião das comemorações do IV centenário da cidade de São Paulo e se transformou na Exposição de Artes e Técnicas Populares, mais tarde Museu de Artes e Técnicas Populares. Com a constituição da Associação Brasileira de Folclore, em 1960, passou a se chamar Museu de Folclore de São Paulo. Por fim foi renomeado como Museu do Folclore Rossini Tavares de Lima, em homenagem ao seu criador.

Escreveu, entre outras obras: Manifestações folclóricas em São Paulo, para o livro de Ernâni Silva Bruno: São Paulo, e Terra e povo, editado em Porto Alegre em 1967, Notas sobre pesquisas do folclore musical, São Paulo, 1945, Folclore nacional, São Paulo, 1946, Ai, eu entrei na roda, 50 rodas infantis, São Paulo, 1947, Poesias e adivinhas, São Paulo, 1947, ABC de folclore, São Paulo, 1952, Da conceituação do lundu, São Paulo, 1953, Melodia e ritmo no folclore de São Paulo, São Paulo, 1954, Folguedos populares de São Paulo, São Paulo, 1954, O Folclore na obra de escritores paulistas, São Paulo, 1962, O Folclore do litoral norte de São Paulo, Rio de Janeiro, 1968 e Folclore das festas cíclicas, São Paulo, 1971.

Faleceu em São Paulo, em 05 de agosto de 1987.


http://www.abmusica.org.br/academico.php?n=rrossini-tavares-de-lima&id=885

*Livros de Rossini Tavares de Lima:

ABECE DE FOLCLORE

autor: Rossini Tavares de Lima

editora: Martins Fontes - Martins

SINOPSE
O leitor encontrará no Abecê de folclore um painel representativo do que compõe a cultura popular brasileira. O estudante, além disso, encontrará informações que contribuirão para a sua formação intelectual. Isso tem garantido o sucesso das várias edições deste livro.
No Abecê entramos em contato com a Ciência do Folclore como defendia Rossini , com os conceitos e metodologias que norteiam as pesquisas nessa área.
O estudo da música, da linguagem e da literatura folclórica é apresentado mostrando a sua importância no panorama cultural brasileiro, e os contos populares recebem tratamento destacado.
Além disso, o capítulo sobre a presença do folclore na nossa literatura colonial merece atenção especial do leitor.
Por fim o "Pequeno Dicionário Musical", que encerra o Abecê de folclore, é uma preciosidade enquanto registro de época.
J.G.M.G.
DADOS DO PRODUTO
título: ABECE DE FOLCLORE isbn: 9788533618138 idioma: Português encadernação: Brochura ano de edição: 2003 edição:
http://www.travessa.com.br/abece-de-folclore/artigo/72f34767-0db0-47b6-947b-c27917da82bc

A CIENCIA DO FOLCLORE

autor: Rossini Tavares de Lima

editora: Martins Fontes - WMF


SINOPSE
A teoria da cultura espontânea formulada por Rossini Tavares de Lima é a resultante de uma experiência vivenciada ao lado do povo cantante, dançante, contador de estórias e causos, supersticioso e profundamente religioso, temente a Deus e a forças adversas, imaginárias na maioria das vezes. As características do brasileiro são aqui reveladas pelos seus usos e costumes, pelos seus 'modos de pensar, sentir e agir'. Sua formação musical teve papel decisivo para as análises que nos legou das cantigas e na classificação dos instrumentos musicais folclóricos. O livro constitui um verdadeiro roteiro para todos aqueles que desejarem aprofundar seus conhecimentos sobre os métodos de pesquisa, a elaboração de questionários para entrevistas com informantes, a análise e a interpretação de dados e o estudo do folclore em textos eruditos.
DADOS DO PRODUTO
título: A CIENCIA DO FOLCLORE isbn: 9788533619104 idioma: Português encadernação: Brochura formato: 13,7 x 20,8 páginas: 246 ano de edição: 2003 ano copyright: 2003 edição:

http://www.travessa.com.br/a-ciencia-do-folclore/artigo/a026d664-d912-4509-8f37-b677e6a0041a

INÍCIO 

ELY CAMARGO - Cantiga de São Gonçalo (Minas Gerais)



https://www.youtube.com/watch?v=bH7buBX7ohw
 
 

Publicado em 30 de abr de 2016
Música recolhida por Rossini Tavares de Lima, álbum "Danças Folclóricas Brasileiras" (1968), sêlo Chantecler

Nota da contra-capa:

"Dança de São Gonçalo - No Estado de São Paulo, Minas Gerais, Goiás, Bahia e
Alagoas, é uma dança de promessa, realizada na frente do altar.
Caracteriza-se em São Paulo e no Sul de Minas pelo canto de versos,
palmeado e sapateado. Durante pesquisa realizada em Santa Isabel, SP,
mantive contacto com participantes de Congada mineira e um dele s era
dançador de São Gonçalo, em Machado Grande, o qual entoou a "cantiga"
gravada neste "Lp".

Escolha de temas e ritmos, apresentação e comentários do PROF. ROSSINI TAVARES DE LIMA"


INÍCIO 

Macunaíma e o Enigma do Herói às Avessas | José Miguel Wisnik



https://www.youtube.com/watch?v=l_hWIfYna7k 


Publicado em 30 de ago de 2016
O ensaísta, crítico e prof. de literatura da USP José Miguel Wisnick fala
sobre a obra de Mário de Andrade, Macunaíma, de 1928. O livro descreve a
saga de um herói brasileiro apresentado com traços positivos e também
marcadamente negativos. Macunaíma é o resultado de intensas pesquisas de
Mário de Andrade sobre a cultura popular pelo Brasil. O livro imita o
modo de narração da composição popular, o herói às avessas é grande e é
pequeno como o Brasil: imenso, mas muitas vezes menor do que poderia
ser. Segundo Wisnick a palavra ‘caráter’, em Macunaíma, tem mais de um
sentido; refere-se tanto ao mentiroso, desregrado, inconsequente como à
ausência de características sólidas. O livro era um plágio das lendas
indígenas e o modo do brasil ser: uma bricolagem. Em Mário de Andrade
não há a ideia de identidade nacional, mas de sofrimento e gozo das
populações em sua construção.
Programa exibido em 08/05/2016

 INÍCIO 
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...